Como se auto promover não verbalmente em frente a uma câmera

 

Por vezes a comunicação é encarada como se só do conteúdo falado se tratasse, no entanto a comunicação foi já analisada como sendo baseada em três áreas.

As palavras no nosso discurso apenas correspondem a 7% do peso do sucesso da nossa apresentação, enquanto que o tom de voz já fica nos 38% e a maioria fatia, representando 55% do peso total, diz respeito à linguagem corporal, ou seja, a comunicação não-verbal.

A linguagem corporal representa mais de metade do gráfico, ficando assim em destaque relativamente às palavras e à voz.

 

 

 

 

 

Boa postura

postura corporal

Manter uma postura correta e receptiva, para além de transmitir uma imagem mais segura, auxiliará projeção da nossa voz.

Podemos escolher o que preferimos, se fazer a apresentação sentados ou de pé. Contudo, devemos estar cientes do que isso representa em termos de comunicação não verbal.

Há quem opte por fazer a sua apresentação sentado mas, de facto, isso origina a que:

  • A nossa mobilidade fique reduzida;
  • Comunicamos muito menos com o corpo;
  • O nosso discurso tenha muito menos impacto.

 

Posto isto, caso optemos por fazer uma apresentação em pé, devemos garantir que:

  • não nos movimentamos de forma ansiosa;
  • não nos mantemos sempre parados no mesmo sítio.

Ambos os extremos passam imagem negativa, o primeiro transmite nervosismo e o segundo falta de confiança. Devemos movimentar-nos com segurança, com o corpo ligeiramente inclinado para a frente e com a cabeça sempre levantada nunca ficando a olhar para o chão ou slides da apresentação. É importante mantermos o contacto visual relembrando sempre que o nosso foco é o público, logo não o podemos esquecer.

 

postura em apresentação

A forma como nos comportamos ao comunicar não-verbalmente diz muito mais do que as próprias palavras, pois prevê mensagens subliminares.

 

Gestos com as Mãos

Durante a nossa apresentação devemos ter cuidado com a forma como estamos a comunicar com os nossos gestos.

Devemos:

  • Manter as mãos livres (de papéis, etc..);
  • Mãos soltas e nunca nos bolsos;
  • Braços nunca cruzados nem atrás das costas;
  • Cotovelos afastado do corpo;
  • Postura aberta (antes podemos praticar power pose abrindo os braços e expandindo o corpo);
  • Evitar linguagem corporal que transmita insegurança (bater pé, tremer mãos ou voz..).

Manter uma postura aberta e disponível faz com que o público se sinta mais envolvido com a nossa apresentação.

Expressões Faciais

São a primeira linha de contacto com as outras pessoas e permitem-nos saber as atitudes reais de quem está a falar, e se estas coincidem ou não com as suas palavras. Todos nós já ouvimos dizer que se a pessoa responder a uma pergunta a olhar para a esquerda está a mentir ou se baixar a cabeça está com vergonha, todas estas conclusões são fruto de anos de estudo comportamental.

As explicações que ouvimos de especialistas relacionadas com esta questão são tantas e tão variadas que realmente o público acaba sempre por se aperceber de algumas delas, podendo transparecer a sensação de medo, falta de segurança, vergonha, falta de preparação, timidez, nervosismo, surpresa.

Estas expressões passam desde:

  • olhar para vários lados rapidamente;
  • taltrear palavras;
  • piscar muitas vezes os olhos,
  • morder o lábio;
  • Roer as unhas;
  • mexer a boca;
  • franzir o sobrancelha;
  • arregalar os olhos ou virá-los para o chão;
  • Entre tantos outros.

 

Tom de voz: suas variantes e importância.

Existem quatro aspetos que devem ser pensados em relação à voz:

  • Volume

Falar mais alto vai adicionar energia ao discurso, enquanto que falar de forma mais suave garante uma maior intimidade e drama no discurso.

  • Velocidade

Falar rápido para desta forma aumentar a energia ou entusiasmo da mensagem. Por outro lado, devemos abrandar o tom de voz ao explicarmos informação mais sensível, ou quando damos conta que estamos a falar demasiado rápido. 

  • Tom

Ajustar um tom apropriado. Eu posso dizer, por exemplo, que amo aquilo que faço num tom sincero, sarcástico ou entusiástico. Espero que apenas o primeiro e o último sejam o vosso caso!

  • Silêncio

Pausas bem delimitadas são chave para aumentar a intensidade dramática da mensagem e garantir tempo extra para  a audiência absorver o seu conteúdo.

 

 

tom de voz

O tom de voz tem um papel fundamental na forma como passamos a nossa mensagem, tê-lo adequado é um grande ponto a nosso favor.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Post comment